QUEM É RAFAEL BIRRO, SUSPEITO DE AGREDIR FAXINEIRA QUE LAVAVA CALÇADA EM BELO HORIZONTE

Empresário era franqueado de uma rede de estética e emagrecimento, mas foi desligado após as imagens da agressão contra Lenirge Alves de Lima serem divulgadas.

Rafael Birro - Foto: Redes Sociais

Rafael Birro - Foto: Redes Sociais

Rafael Ferreira Birro de Oliveira, identificado pela Polícia Civil como o homem que agrediu a faxineira Lenirge Alves de Lima enquanto ela lavava a calçada em frente a um prédio no Lourdes, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, tem 35 anos e identifica-se como empresário nas redes sociais.

Rafael é natural de Governador Valadares, na Região do Rio Doce, e mora em Belo Horizonte.

O empresário era franqueado de uma rede de estética e emagrecimento chamada Magrass. Ele era sócio de uma unidade em Betim, na Grande BH, mas foi desligado após as imagens da agressão contra Lenirge serem divulgadas.

Rafael apagou todos os perfis nas redes sociais. Ele foi intimado pela Polícia Civil a prestar depoimento nesta terça-feira (20) e não compareceu.

De acordo com a instituição, o advogado do empresário procurou a delegada responsável pelo caso para pedir que o cliente "preste depoimento de maneira reservada".

A delegada Marina Cardoso Nascimento disse que o suspeito não tem histórico de outros crimes.

A agressão aconteceu na última sexta-feira (16), enquanto Lenirge Alves de Lima, de 50 anos, lavava a calçada em frente a um prédio no bairro Lourdes, na Região Centro-Sul de BH.

Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que o homem tentou passar pela calçada. Houve uma discussão e, em seguida, o agressor tirou a mangueira das mãos da mulher com violência e a deixou encharcada. Lenirge ainda caiu e se machucou (veja acima).

Faxineira machucou o joelho durante agressão em BH — Foto: Redes sociais/Reprodução

Faxineira machucou o joelho durante agressão em BH — Foto: Redes sociais/Reprodução

Lenirge registrou boletim de ocorrência e, nesta segunda-feira (19), fez uma representação criminal. O caso segue no Juizado Especial Criminal.