PETROBRAS ANUNCIA QUEDA NO PREÇO DE VENDA DO GÁS DE COZINHA PARA DISTRIBUIDORAS

"Essa redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras", disse a estatal

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (22) uma redução no preço de venda do GLP (gás de cozinha): valores entram em vigor na sexta (23) - Foto: Flavio Tavares

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (22) uma redução no preço de venda do GLP (gás de cozinha): valores entram em vigor na sexta (23) - Foto: Flavio Tavares

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (22) uma redução no preço de venda do gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha. O valor médio de venda para as distribuidoras passará, a partir desta sexta (23), de R$ 4,0265 por quilo para R$ 3,7842/kg, equivalente a R$ 49,19 por 13kg, refletindo redução média de R$ 3,15 por 13 kg.

"Essa redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio", anunciou a estatal.

A medida foi anunciada e comemorada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), por meio das redes sociais. A redução nos preços dos combustíveis é uma das suas principais peças de publicidade na campanha pela reeleição.

Consumo de gás de cozinha cai no 1º semestre e é o pior em nove anos

O consumo de gás de cozinha no Brasil caiu no primeiro semestre de 2022 e registrou o pior desempenho desde 2014. A venda de botijões de GLP teve queda de 4,5% em relação ao período de janeiro a junho de 2021, mesmo com a criação do Auxílio Gás, sancionada por Bolsonaro no fim do ano passado.

O maior impacto aconteceu nas regiões Sul e Sudeste, com redução de 5,9% e 5,7% no consumo do primeiro semestre, respectivamente. Rio Grande do Sul e Minas Gerais foram os estados mais afetados, com diminuição de venda de botijões de quase 8%. Em São Paulo, a queda foi de 5,9%, e no Rio, de 4,2%.

O levantamento foi feito pelo Observatório Social do Petróleo, ligado a sindicatos de petroleiros e que monitora as políticas e ações da Petrobras, a partir de dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP) sobre GLP vendido em vasilhames de até 13 quilos, os mais usados em residências.