MORAES NEGA PEDIDO DO PL PARA ANULAR VOTOS E APLICA MULTA DE R$ 22 MILHÕES

Em decisão proferida na noite desta quarta (23), presidente do TSE classificou os argumentos do partido como falsos

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes - Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes - Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proferiu decisão na noite desta quarta-feira (23) indeferindo o pedido do Partido Liberal (PL), do presidente Jair Bolsonaro, e de sua Coligação, para que votos de 250 mil urnas utilizadas no segundo turno fossem anuladas.

Na decisão, Moraes classificou os argumentos sobre as urnas como "absolutamente falsos", "ilícitos e esdrúxulos". O magistrado afirma que o pedido atenta contra o Estado Democrático de Direito e que o partido tem incentivado de maneira inconsequente movimentos criminosos e anti-democráticos. Além disso, o ministro alega que a que a sigla agiu de má-fé ao levantar tais alegações.

Diante disso, ministro multou os partidos da coligação do presidente Jair Bolsonaro (PL) em R$ 22,9 milhões.

Matéria em atualização*