MULHER É MANTIDA EM CÁRCERE E MORTA A FACADAS POR EX QUE NÃO ACEITAVA FIM DO RELACIONAMENTO EM MG

Nayara de Oliveira Alexandre foi socorrida, mas não resistiu e morreu na UPA em Lagoa da Prata. Homem foi preso em flagrante.

Suspeito do crime foi preso em flagrante - Foto: Arquivo pessoal

Suspeito do crime foi preso em flagrante - Foto: Arquivo pessoal

Uma mulher de 35 anos foi morta a facadas pelo ex-companheiro após ser mantida em cárcere e sob ameaças, neste sábado (19), no Bairro Cidade Nova, em Lagoa da Prata. Testemunhas disseram à Polícia Militar (PM) que o homem de 55 anos não aceitava o fim do relacionamento. Ele foi detido e a faca usada no crime foi apreendida.

Os militares chegaram à casa de Nayara, chamaram nos dois portões e chegaram a ver o homem dentro do imóvel. Eles arrombaram a porta e encontraram a mulher ferida em cima da cama. Nayara chegou a ser socorrida e levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

O crime

Um vizinho da vítima foi quem chamou a PM. Ele informou que Nayara era mantida em cárcere privado e sob ameaças de morte feitas por Nazareno Caetano de Freitas, de 55 anos, que era ex-companheiro dela e, que, segundo testemunhas, não aceitava o fim do relacionamento.

Do lado de fora da casa, os policiais chamaram pela mulher e pelo homem, mas nenhum dos dois atendeu. Os militares disseram que chegaram a ver o autor dentro da residência, pelos fundos do imóvel, e decidiram arrombar a porta. A equipe foi até o quarto da casa e encontrou o homem com a faca e a vítima ferida na cama.

"Ela gritou por socorro e gritos de dor enquanto os policiais estavam do lado de fora. Só depois os policiais entraram na casa pelo muro do vizinho e se depararam com o corpo da Nayara", disse uma familiar da vítima que prefere não se identificar.

Nayara foi assassinada com golpes de faca — Foto: Arquivo pessoal

Nayara foi assassinada com golpes de faca — Foto: Arquivo pessoal

Segundo familiares, o corpo da vítima foi transferido neste domingo (20) para Limoeiro do Norte, no Ceará, cidade natal e onde Nayara conheceu Nazareno.

A Polícia Civil apura o caso para elaborar inquérito e remeter à Justiça para que Nazaremo seja julgado pelo feminicídio.