MP REALIZA SEGUNDA FASE DA OPERAÇÃO "TREM DA ALEGRIA" EM GUAPÉ

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Ministério Público de Minas Gerais realiza a 2¬™ fase da Operação Trem da Alegria. Uma nova denúncia foi feita ao prefeito de Guapé, que segue afastado, a um secret√°rio municipal e um empres√°rio da cidade pela pr√°tica de dezenas de crimes de falsidade ideológica/uso de documentos falsos e peculato. Segundo a denúncia, o prefeito registrou em nome do empres√°rio uma porção de terra. A ação aconteceu pelas facilidades do cargo e de documentos falsos.

O objetivo dos investigados, segundo o MP, era ter vantagens e aprovação de todas as autorizações necess√°rias para a implantação, de um empreendimento de luxo, denominado Portal do Lago. Paralelamente, a denúncia mostrou que ele fez uso de recursos públicos para construiu a obra particular em um terreno que pertencia ao prefeito. Com isso, uma pequena porção de terra rural foi transformada em √°rea urbana com valor final estimado em mais de R$10.000.000,00.

Após pedido do Ministério Público, novas prisões foram decretadas contra o empres√°rio e contra o prefeito afastado, o qual foi novamente afastamento do cargo, medida que também é v√°lida ao empres√°rio citado. Todo o empreendimento foi sequestrado pela Justiça. O prefeito foi preso na primeira fase da operação, em fevereiro deste ano. O trabalho aconteceu para combater uma organização criminosa em Guapé, dedicada à pr√°tica de crimes de corrupção passiva, peculato, lavagem de dinheiro e entrega de veículo automotor a pessoa não habilitada.